A importância das algas na alimentação

As algas foram os primeiros seres vivos a criar oxigênio e são um alimento exceptional. Elas produzem substâncias antibióticas, anti-fúngicas e anti-virais que as protegem contra a poluição bacteriológica e, ao mesmo tempo, purificam o ambiente. Em muitos países do oriente as algas são parte diária da alimentação. Os japoneses são os maiores consumidores de algas: 1,5 kg por pessoa por ano.
Valor nutricional:
As algas são uma excelente fonte de minerais e oligo-elementos. Incluí-las na nossa alimentação ajuda-nos a compensar a perda de nutrientes dos produtos agrícolas, causada pelo empobrecimento solo.
As algas contêm altos níveis de magnésio, ferro, iodo e sódio são o segundo alimento rico em termos de fósforo, cálcio e potássio. Elas são ricas em cobre, cobalto (composto de vitamina B12), zinco, boro (necessário para a assimilação e fixação do cálcio), selênio, cloro, bromo, enxofre, manganésio, silício, etc.
Elas contêm clorofila, enzimas, ácidos nucléicos, mucilagens (fibras hidrossolúveis) e vitaminas A, B1, B2, B3, B6, PP, C, B12, D, D.

Nas algas secas a quantidade de proteínas é semelhante à dos cereais integrais, e nalguns casos superior aos  níveis existentes nos ovos ou carne de bovino (12%). Grande parte dos hidratos de carbono são mucilagens não assimiláveis que acceleram o trânsito intestinal causando uma diminuição da ingestão calórica, melhoram à tolerância a glicose e reduzem a concentração plasmática de colesterol.

As algas são ricas em alginato de sódio, importante agente de neutralização de certos metais pesados ou radioactivos em casos de intoxicação por ingestão. O alginato de sódio reduz a absorção do estrôncio, bário e rádio por um factor de 12. Estes elementos radioactivos são convertidos em sais inofensivos e são excretados pelo sistema.
Valor terapêutico de algas
As algas são indicadas nos casos de obesidade, distúrbios da tiróide, bócio, hemorróidas, artrite, sequelas de fracturas, desmineralização, constipação intestinal, parasitas, anemia, celulite, acumulação de elementos radioactivos, etc.

As algas são mais benéficas se forem consumidas cruas. Elas podem  realçar o sabor de seus pratos, bem como a sua aparência. As algas mais frequentes são a espirulina (micro-alga), nori (alga que se usa confeccionar o sushi), aramé, kombu, etc. O agar-agar é um extracto de várias algas e usa-se como gelifiante. Substitui a gelatina de origem animal e o seu poder é 7 vezes superior ao da gelatina animal.

Pode comprá-las nas ervanárias ou lojas de produtos naturais.

Fonte:” Manuel du cours de cuisine Alimentation Vivante”, Diane Langlois
Saber mais:“As Algas Marinhas e Respectivas Utilidades”,

Leave a Comment